Pesquisar este blog

Carregando...

ESTENOSE DA ANASTOMOSE GASTRO-JEJUNAL


Esse nome parece ser muito lindo, não é?  Pois é .. à princípio fiquei assustada com com esse nome tão lindo e romântico. Após fazer algumas pesquisas pela internet para saber o que significa ESTENOSE DA ANASTOMOSE GASTRO-JEJUNAL, descobri que é uma complicação frequente, após gastroplastia redutora e que pode ser tratada de modo eficaz endoscopicamente, através de dilatação com balão hidrostático.

COMO DESCOBRI QUE FUI "SORTEADA" COM ESSA COMPLICAÇÃO

Essa complicação acontece com 20 a 30% dos pacientes que se submetem a gastroplastia redutora. Após a Terceira semana da dieta pós operatória, observei que não conseguia seguir a dieta proposta pela nutricionista que faz parte da equipe multidisciplinar. Tudo o que eu ingeria, causava desconforto, uma dor ... e em seguida uma náusea, um enjôo e acompanhada pela "BABA DE ALIEN, O 8º PASSAGEIRO". Minha alimentação passou a ser praticamente líquida: suco com bastante gelo, chá de camomila, água de coco com gelo (em média 100 ml). 
Após completado 30 dias da cirurgia, fui a consulta médica e ganhei um cardápio bom (arroz, carne grelhada, frango grelhado, peixe cozido, saladinha de verduras e legumes ... Tudo isso é muito bom. Vamos sair do caldinho, oba!!!
No 45º dia pós cirúrgico, comecei a questionar se isso era normal e cheguei a conclusão: NÃO, ISSO NÃO É NORMAL. COMO UMA PESSOA PODE FICAR SOMENTE A BASE DE LÍQUIDOS? 
Fiquei encafifada com isso e procurei a nutricionista e entrei em contato com o médico que me mandou fazer endoscopia.
No dia 02/06/2012, fiz o exame de endoscopia e não deu outra: algo estava errado. Descobri então, porque não estava conseguindo me alimentar (alimentos sólidos). Isso se devia ao estreitamento no estômago e a estenose da anastomose gastro-jejunal. Foi assim que descobri sobre essa complicação.

MEU TRATAMENTO

Agora tenho que falar com meu médico cirurgião, para saber o que será feito e quando iniciarei o tratamento. Enquanto isso, fico por aqui comendo minha papinha Nestlé (quando saio de casa).

O TRATAMENTO

A única saída que coube para tratar a ESTENOSE DA ANASTOMOSE GASTRO JEJUNAL, foi a dilatação. O processo é "simples" para quem já fez várias endoscopias e já está acostumada - rsrsrsrs.... Só rindo mesmo para não chorar.
No dia 27/06/2012, me submeti a primeira sessão de dilatação para tratar a estenose. O processo ocorre através da endoscopia em que um balão intragástrico é inserido na cavidade do estômago, dilatando-o. Segundo o médico, assim que o processo é realizado, o paciente pode comer qualquer coisa, tipo um sanduíche enorme. Ledo engano, caros amigos! Pelo menos eu ainda levei dois dias sem poder comer, pois devido a passagem do endoscópio com o balão, machucou a passagem pelo esôfago e nem água descia direito. Não quero assustar ninguém.
Hoje, já consigo me "alimentar"melhor, exceto carne grelhada, frango grelhado ... alimentos muito sólidos ainda não descem direito.
De uma coisa, me livrei: A BABA DE ALIEN, OITAVO PASSAGEIRO!
Agora é só fazer acompanhamento e testar o que posso comer.

4 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Minha mãe fez gastroplastia e hoje realizou a endoscopia com o balão. No entanto, o que nos preocupa é o excessivo enjoo que ela sente. É constante e está judiando dela. Uma vez por hora ela sente enjoos terríveis e a tal "Baba de Alien", que eu tive que rir do nome! rsrs...
    Você se recuperou tranquilamente com a dilatação? Obrigada pela atenção e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Ola! Dia 13/11/14, fiz bariatrica e continuo no sofrimento terrível, já realizei duas endoscopia com introdução do balão no esofago e até hoje não consigo comer nada sólido, tento comer purê e fico com ânsia de vômito enquanto não vômito a dor no estômago não passa e a tal "baba de Alien", devido a tanto vomitar estou com uma úlcera na boca do estômago e o médico manda eu comer se não vai fechar novamente segundo ele. Mais não consigo, estou entrando em depressão e muito fraca. Gente me dê uma luz!!! Estou desesperada.

    ResponderExcluir
  3. Eu operei em 2006, fiquei muito mal, foram 09 meses horríveis, pois eu não conseguia me alimentar e o cirurgião questionado pela equipe, disse que eu tinha bulimia. Graças a Deus após uma conversa muito franca com a endocrino, ela me encaminhou para um exame em outro local de sua confiança, pois eu já estava com subnutrição e praticamente careca, foi diagnosticado a estenose. Fui internada para fazer a dilatação com balão, mas como eu não pego a sedação, foi preciso anestesia geral para o procedimento. O cirurgião que me operou se negou a fazer, Dr. Abraão Albuquerque. Foi então que tive uma grande batalha com o convênio, pois diante de tudo isso eu queria fazer com algum especialista que fosse competente para tal, eu estava com medo, fragilizada por toda situação, foi então que fiz com o Dr. Tiago Secchi. Até hoje quase 09 anos depois tenho muita dificuldade de me alimentar. Não consigo comer saladas e carnes, tem 04 meses que controlei a anemia, faço uso de noripurum 1 X na semana, 02 ampolas em 100 ml de soro. Não foi fácil e não é até hoje, infelizmente convivo com isso, dias melhores, outros não, mas fui uma contemplada dos 30% das pessoas que apresentam essa complicação. Carmen Lucia não se desespere, todos nós qdo operamos sabemos que podem haver complicações... Tenho amigas que dilataram e hj tem uma vida normal, força aí que tudo vai ficar bem, bjo.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir